terça-feira, julho 17, 2007

Ao vivo #2

A mesma necessidade de escrever.
A mesma ansiedade por leitores,
palavras em aparecer.

Segunda-feira-noite,
hora de expelir jóia brilhante,
pedra bruta, ou rocha arenosa
que se desfaz em pouco tempo
ou sopro pequeno .

A mesma ansiedade em palavras.
As teclas cedem macias,
mas as mãos sentem falta do papel:
e dos erros
e das rasuras
e garranchos

...a mão esquerda só a segurar a folha
...os olhos a mirar as rachuras
...o grafite derretendo no papel



p.s.: [é gus, às vezes só ao vivo! abraço!]

Um comentário:

Gus disse...

Precisamos logo inventar celulose virtual...e expandir idéias e sentimentos por meio de seivas de códigos binários hehehe


Obrigado pela lembrança, parceirinho! Abraçoss!