segunda-feira, julho 23, 2007

Alicerces

Uma vez me disseram que é só quando você cresce que consegue perceber certas coisas. Eu digo perceber, e não apenas ver, porque perceber é muito além de ver; é condoreiro e seleto ao mesmo tempo; é sentir e dizer; é inconstitucional, inconsciente e inerente a qualquer tipo de intempérie. Uma vez me disseram que só quando se chega à tenra idade é que se pode perceber quem são seus amigos. Só quando se atinge a maturidade fraterna que se percebe que os guerreiros que lutam do seu lado da trincheira são os que - mesmo não se preocupando com você em alguns momentos, por ter, nestes curtos espaços de tempo e espaço, alguma preocupação que apenas lhes dizem respeito, que são pessoais - sabem que você está lá, ligam para dar um "alô", e são dignos de seu amor incondicional e eterna gratidão por suportarem suas dores.
E uma vez me disseram que uma das pistas da verdadeira amizade é aquele momento em que você e seu amigo estão fumando um cigarro, cada um pensando nas suas coisas, cada um preocupado com suas preocupações, onde nenhum som pode ser ouvido por um intervalo de tempo sem um valor fixo por nenhum dos dois interlocutores, não há constrangimento. E você acaba primeiro o seu cigarro e cede o cinzeiro para que termine o dele.
Hoje creio ter chegado à tenra idade. Me disseram que, no futuro, eu poderia contar nos dedos quem seriam meus verdadeiros amigos, e hoje vejo que tudo o que disseram é como uma espécie de dogma da amizade. Espero conhecer pelo menos mais alguns para completar a mão que falta.

Amo vocês, meus amigos.

2 comentários:

Pri Lopes disse...

Que lindo, que lindo! Quanta verdade!

Caito disse...

Salve!