terça-feira, junho 12, 2007

quando era criancinha
era tímido feito tatu-bola
gestos desengonçados, fala pra dentro
só uma amiga feia e nerd

um dia cheguei atrasado a aula (como sempre)
e o rapagão do fundo
- alto forte feio, cara de mau, três anos na mesma série –
gritou maldoso:
apareceu a Margarida!

e daí pra frente, só deu Margarida.
Margarida pra cá, Margarida pra lá...

mas um dia Margarida morreu

um futuro amiguinho fez questão de enterrá-la

fez piada jocosa
xingou
empurrou
humilhou

até que o punho cerrado atingiu sua face sardenta

- Cara, que legal! Você arrancou sangue do nariz dele!
- Fui eu que fiz isso?
- Foi você, Margarida!
- Quer que eu quebre seu nariz também?

***

Margarida morreu.

nasceu azaléia branca
(pensando-se comigo-ninguém-pode)

4 comentários:

Gus disse...

é verídico???

.hi-fi. disse...

...comigo já aconteceu (mas sem sangue)

Gus disse...

comigo tb, por muito tempo, até eu entrar na Cásper.

Pri Lopes disse...

Fenomenal. Cara, isso ficou muito genial, Caio! Parabéns!!!