domingo, março 09, 2008

Sete Sonetos

I – domingo

flor do asfalto, ainda é madrugada
nossa semana começa na cama
não sabe se me odeia ou se me ama
mas troca o pijama pela camisola rosa

como os lábios rosados, umedecidos
deixa escapar um seio, leve e macio
o mamilo-madeira que não mereço
umedeço, desço culpado, me desculpo
______________________________ajoelhado]

envergonhado, agradeço suas coxas
apelo aos seus pelos, imploro perdão!
não mereço seu gosto, mas o sinto

e me ressinto pelo meu comportamento vulgar
quando suspira e me arranha as costas, entristeço
pois não sou digno de te ouvir suspirar.

2 comentários:

adelaide amorim disse...

Vamos reforçar o Sindicato com a força que faz reunião. A idéia vale!

André disse...

Terminei de ler e pensei: "por que eu não escrevi isso antes?" Foda...