quarta-feira, janeiro 04, 2006

Procuro o sono com um soneto
encontro apenas a folha em branco
folha molhada pelo meu pranto
que cai dançando um minueto

Queria mesmo escrever panfleto
onde seria deveras franco
confessaria como me espanto
quando esperto espeto o espeto

dentro do peito, com muito jeito,
bem devagar, pra não machucar,
com muito carinho e muito zelo

Espeto apenas para me lembrar
que apesar de tanto novelo
algo ainda bate dentro do peito.

Um comentário:

Pat disse...

Bom, eu nunca tinha entrado aqui, e pra vocês dois terem uma idéia de quão bom eu achei basta dizer que entrei pra ler só o último post e acabou que não consegui parar até chegar ao fim da entrevista do professor da USP. Parabéns!