segunda-feira, outubro 01, 2007

Sobre a boemia - Noites

A Boemia não pertence somente ao poeta falido na mesa do canto, nem ao choro malandro do cavaco.

A boemia possui muitos palcos - entre os copos, na flor no cabelo da morena, nos paralamentos em volta de cada mesa, o samba nos pés. Boemia é também o que está em cena: a curiosidade de se estudar a noite, a sinuca de olhares, a indisciplinada rotina de aparecer sempre na mesma mesa, comungar máximas e mínimas.

Não é um cenário, uma situação que se desfaz no nascer do sol, é uma forma de visão noturna, de como enxergar a noite e a vida. Não é um mundo paralelo, é a mistura de muitos mundos, atraídos por brilhos noturnos e desvendados por corações humanos.

Um comentário:

Caito disse...

Uma forma de visão noturna! é isso aí.