quarta-feira, outubro 10, 2007

Imperdoável

Queria te odiar só por um segundo.

Odiar muito, ódio de verdade,

ódio de sangue,

ódio que vem da alma!

Aquele ódio que aquece por dentro do corpo,

que enche de lava as cavidades da face, que seca a boca e embaralha a mente e embaça os olhos e franze a testa e cria milhões de rugas novas por segundo e que dá vontade de esganar, enforcar, espancar, escarrar, chutar, xingar, assassinar...

Mas não consigo!

Queria te odiar só por um mísero segundo,

Só um segundo, unzinho...

Mas não consigo!

Perdôo-te por tudo,

menos por isso.

7 comentários:

Cíntia Costa disse...

:)

Lapa disse...

http://argos-zoom.nireblog.com/post/2007/09/29/birmania-peticao

Lapa disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Lapa disse...

Para você querer odiar tanto é porque ainda ama.
E se ama o caso está situado a Oeste do seu peito.
São problemas de difícil resolução.

Abraço Arraiano, salpicado de mar.

.hi-fi. disse...

...daqueles desejos por sentir, que não só de ódio e amor, até desejo por não sentir, por indiferença. tornar-se monge e guiar as emoções?

Estêvão dos Anjos disse...

Lembrou muito um conto de Clarice 9 cada qual a seu estilo) o conto chama-se o búfalo.

Thays disse...

Olá! Conheci o blog de vcs através do site Museu da pessoa!
Gostei demais da entrevista! Vou passar aqui mais vezes com calma !
Boa sorte com a iniciativa!