quinta-feira, março 22, 2007

Lee via a garoa via Lee

Ando escuro
num vagar intranquilo
eu me disparo,
eu me futuro
eu desatino...

no teu sorriso.
anoiteço poeta,
se durmo mal dormido,

e acordo no teu olho exprimido
balbuciando confuso.

Lívida.
Que nem te conheço...

(e lívido)
que eu...
sou só um rascunho
em você.

5 comentários:

Caito disse...

Ora, ora, que saudades de teus versos enigmáticos!
Viu que a casa tem novos moradores? Tudo gente fina e camarada. Se continuar assim, em alguns anos poderemos organizar até um sarau... rs !
Continue rascunhando!
Abraço!

.hi-fi. disse...

...aroma de paixão sazonal. passou para registro não é mais rascunho! hehehe!

Marcos disse...

Aê Caito!
Tô numacorreriadesenfreada!
Saudades de você, gostei das coisas que você escreveu! Ácido, não? Náuseas...

Hi-fi: amor sazonal: hahahahmatou a charada.......(mas tô tentando a perenidade deste, que este vale a pena...e muito)

"passou pra registro não é mais rascunho..."

Mas que a gente podia se encontrar pra uma cerveja a gente podia, né não?! Que tal?!

Atés!

.hi-fi. disse...

ótima idéia! assembléia do sindicato já!

Pri Lopes disse...

Gostei demais. Não tinha lido nada seu ainda. Agora, lendo os comentários, que inveja, vocês são todos próximos... eu nem vou poder tomar cerveja com vocês! Já pensaram em férias em FLoripa? Aqui é paradisíaco! Beijo