terça-feira, julho 08, 2008

Asas Cortadas

sou um pássaro de asas
cortadas

pássaro cinza, auto-engaiolado

deixei minha cor no passado
fiquei apenas com as penas

tenho cortado o
cor
iiiii/
iiiiiiação

iiiiiicarrego uma
iiiial
iiiiii/
iiiiiiima
iiiiiiiiiiiiiicortada

cansada de ser cansada

sou pássaro sozinho iiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiino canto
de canto cortante
sou meu recanto ambulante
decanto, recortado
de mim separado
i N c o N s T a N T e

de humilhação em humilhação
enchi o papo,

fiquei pesado!

mas o tempo curou minhas asas
e agora soltei os sapos


estou
LEVE!
livre para
voar.

5 comentários:

Vieira Calado disse...

Gosto destas coisas meio-exerimentais, meio-convencionais.
Obrigado pelas palavras no meu blog.
Um abraço

Bianca Feijó disse...

Olá!

Bom voltar e ler seus poemas!

Gosto desse estilo um tanto concretista...

B.E.I.J.O.S

Tainá disse...

o que ainda me faz ler poesia é que ainda tem gente que escrever o que eu queria expressar..
e todos tentam ficar leves...
é lindo. um bjo

Priscila Lopes disse...

Caio, vou na onda do queridíssimo Vieira Calado. Adorei! Nós vamos devolver suas respectivas seleções de poemas para a coletânea que virá. Se você quiser, pode substituir algum. Fique bem à vontade.

Beijo

jotajotajotape disse...

muito bonito, amigo.

eu tbm tenho asas assim...